Créditos na imagem
Começo a acreditar então que a culpa é da rede social que insiste em perguntar em que estamos pensando. 
Faz a maioria achar que se importam, que o que dizem é que vai ditar a vida de alguém.
"Ah, vem aqui mãe, vem ver o que seu-ninguém falou sobre isso!"
Esbarrei sem querer em uma publicação onde estrangeiros e brasileiros competiam para ver quem falava mais absurdos em relação à "Joana" que nada mais fez do que opinar na rede. Era um embaraço de tentativas de rebaixar e humilhar a moça recorrendo por vezes ao seu tem de pele.
Mas não existe racismo aqui!
Um grupo - de brasileiros, é bom explicar que não existia somente negros como alguns gostam de pintar ultimamente - se uniu para tentar reverter a situação enquanto um outro grupo exclamava incessantemente "Que preguiça!"
Alguns que viam de fora não entenderam o motivo daquelas exclamações tão sem sentido para o momento mas quem acompanha as redes está percebendo o crescimento do uso da expressão além de entender o seu significado. Para além dessa expressão que me remete, imediatamente, a um "alguém" que prefiro afastar da lembrança, existam umas outras semelhanças com a história que logo me veio à memória. Irmãos que tentam incansavelmente e sem sucesso esconder de onde vieram e o que são. Esse alguém, no entanto, não me saía da lembrança a cada vez que lia um "que preguiça de gente assim".
Jogaria ele as pernas pra cima e se daria por satisfeito com uma rede e uma cesta de frutas se o oferecessem, com certeza. Aliás, não fossem as insistentes caricaturas que pintam de seus maus jeitos, andaria ele por aí, sem medo de ser re-conhecido, suspeito eu. Derrubando alguns gigantes, enamorando-se por todos e, se Mário me permite dizer, enfurecendo algumas autoridades.
Digno retrato de alguns, devo ressaltar, vindo de uma sociedade e assumindo faces de outras. 

Mas que se há de fazer? Foram eles que perguntaram: "Em quê cês tão pensando?"
É como um "vem cá e diz, ofende seu irmão que essa rede tem dono não".

Jogam-se todos nessa poça e tentam disfarçar o que são, empenhando-se a todo custo em esconder sua tribo.

Interrompo os pensamentos quando alguém explode uma postagem racista no meu feed, e a lembrança volta batendo: "que preguiça de gente assim...". 

Que diria ele? Sem nenhum caráter mas acima disso sedento de boa vida, ia repensar quem ele me parece mas "aaaaah, que preguiça!"





Deixe um comentário

Ao final do comentário deixe o seu link, se tiver, teremos o maior prazer em retribuir a visita e o carinho ❤
Se você nao tem uma conta no Google, pode comentar usando "Nome/URL".
P.S. Comentários genéricos não serão retribuídos.