Oi, gente. Tudo bem com vocês?

Hoje eu vim aqui falar sobre um livro que eu estava super ansiosa para ler: Montanha da Lua, da Mari Scotti. Como contamos no post de ontem a Semana Híbrida termina aqui no blog hoje com uma resenha que, apesar de não ser a resenha de Híbrida ainda, está cheia de amor!
Vem ver!

Há séculos uma verdade acompanha cada herdeiro do ducado de Bousquet: A Maldição dos Hallinsons.
Conta-se que a tragédia os acompanha, levando à morte as esposas em seu primeiro ano de matrimônio. Geração após geração, aprendem sua sina e a regra a seguir para possuir uma união frutífera e longa.
Octávio Hallinson Segundo sofre as consequências de não seguir estes ensinamentos. Viúvo, isolou-se da sociedade, fugindo da responsabilidade de casar-se novamente para providenciar um herdeiro para seu título.
Um homem marcado pela dor.
Mical Baudelaire Nashgan sempre foi uma mulher decidida, enfrentando as ordens de sua tia e negando-se a seguir o protocolo que obrigava mulheres a procurar maridos apenas por posse de títulos e dinheiro e não por amor.
O posicionamento contraditório aos costumes afastou os candidatos, tornando-a uma das únicas solteironas que sua província conheceu. A mais bela dentre elas.  Uma tragédia a coloca frente aos perigos da floresta aos pés da Montanha da Lua e seu futuro torna-se incerto e assustador.


Antes de tecer meus máximos elogios ao livro preciso dizer que esse livro encerrou uma fase em minha vida: a fase em que eu não lia romance de época; relutei muito em começar mas achei mais do que justo ter como primeiro uma obra nacional, e assim surgiu o meu amor por esse livro que eu já PRECISO da versão física (pra quem quiser me presentear é um feito mega difícil - estilo prova de amor - já que você vai ter que implorar diretamente para a Mari ou alguém que tenha a versão física que é raríssima e igualmente preciosa). Feitos os esclarecimentos a respeito de minha emocionante trajetória até iniciar a leitura vamos à resenha.

O livro é narrado na primeira pessoa alternando o ponto de vista dos dois personagens principais  e mais um ponto de vista diferente - que não vou contar na resenha de quem é, AHAHAHAH - e conta a história de uma moça de 34 anos que, desafiando os costumes da época, decide viver sozinha e uma rapaz nascido em uma família que carrega uma terrível maldição. Essa moça é Mical Nashgan: solteira, corajosa e um pouco - um pouquinho só - orgulhosa. O rapaz, por sua vez, é Octávio Hallison: reservado, viúvo e tão orgulhoso quanto. Ambos carregam suas próprias crenças e agem de acordo com os seus ideais.

"Franzi o cenho quando a resposta positiva quase escapou da minha boca. Por Deus, eu estava feliz! Mais que feliz... estava esperançoso! E tudo o que passei analisando, pensando, retrucando, era apenas para enganar a maldição, para fazer-me acreditar que minha esposa jamais seria a mulher no fundo de uma sepultura."


Fiquei extremamente em dúvida se contava um pouco mais do enredo ou não mas decidi não fazê-lo por ter sido uma delícia lê-lo sem conhecer mais do que a sinopse dizia. O que posso dizer, com a segurança de quem não vai dar spoilers, é que a Mical difere e muito da mocinha que imaginei protagonizando o romance de época. Ela é forte, decidida e independente mas ainda assim consegue ser de uma delicadeza e inocência impressionante.


" A morte é algo inevitável com maldição ou não! Eu poderia morrer agora mesmo ou você. Assim é a vida. E privar-se da felicidade por medo é a pior maneira de vivê-la."


O Octávio também não se esgota no papel do mocinho clássico, antes impressiona ao revelar a quantidade de "amores" que teve em sua vida. Outros pontos importantes a se destacar são os detalhes do passado das personagens na narrativa, suas rotinas e a própria estruturação política que rodeia a história, as imagens são ricamente construídas e as lembranças ganham um aspecto quase palpável dando ao romance uma ótima perspectiva histórica. O desenvolvimento também é bastante convincente e todos os detalhes narrados são extremamente necessários e ajudam a compor o cenário. As emoções que acometem o casal são outra paisagem magistralmente pintada onde o sentimento se desenvolve de maneira encantadora e é possível até mesmo sentir as bochechas arderem a cada cena romântica. A trama é muito bem amarrada e alguns personagens "secundários" têm, ainda, suas características quase tão bem postas quanto os principais, como é o caso da tia Antonieta.

Quanto à estrutura da obra não tenho o que reclamar, os capítulos são relativamente curtos e a troca dos pontos de vista para mostrar uma mesma situação através dos "olhos" de cada personagem faz com que a narrativa fique ainda mais interessante. No tocante às incorreções achei apenas alguns erros de pontuação comuns e que não interferem no resultado final. A capa é um espetáculo à parte e a trilha sonora do book trailer é show também; aliás, valeu muito a sugestão, li metade do livro ao som de Ed Sheeran, AHAHAHAHAH. 

Como recado final digo aos que curtem romance histórico: se joguem. E aos que não conhecem o gênero - como eu não conhecia - sugiro que comecem por esse livro, há grandes chances de você se apaixonar e, assim como aconteceu comigo, é possível que ele entre para a lista dos seus favoritos

Classificação:


Sobre a obra:


Redes Sociais da autora:

Já conhecia o livro? Já leu?
Comenta aqui o que achou da resenha, vamos conversar sobre Montanha da Lua!


6 Comentários

  1. Ai meu Deus, Adriannnnnnnnnna! Nem to acreditando na lindeza que acabei de ler! Fui sua primeira aposta em romance de época? Sérião??? Que lindooo!! Obrigada pela honra e, principalmente, pela confiança! Essa é uma das minhas histórias prediletas, tão predileta que não consegui escrever os livros da sequência ainda, porque não consegui uma trama afastada do que já é comum para romances de época. Gosto de ter algo a mais para dar ao leitor e fiquei imensamente feliz que você notou isso. Os detalhes da sua resenha mostram que você leu de verdade, com o coração e conhecimento.
    Ah to emocionada! haha. Obrigada!
    Beijão, Mari Scotti

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari, seu livro tá no meu coração! Fico feliz que tenha gostado da resenha espero que tenha dado pra perceber o quanto eu gostei de lê-lo <3 Foi minha primeira aposta em romance de época e estou apaixonada :D Quero mais livros da série! <3

      Excluir
  2. Fiquei meeeegaaa curiosa! faz isso não colega! kkk' vou por agora na minha listinha do skoob! a capa também é maravilhosa!
    www.byanak.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana. Coloca na listinha e passa na frente, Ahahahahahha. Esse livro é maravilhoso <3

      Excluir
  3. Oi, Adriana!
    Gente, eu tenho de ler esse livro. Na verdade, eu tenho de ler todos da Mari porque todo mundo fala muito bem.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, comecei por esse e já amei, quero ler até a lista de supermercado da Mari, Ahahahahaha. <3

      Excluir

Ao final do comentário deixe o seu link, se tiver, teremos o maior prazer em retribuir a visita e o carinho ❤
Se você nao tem uma conta no Google, pode comentar usando "Nome/URL".
P.S. Comentários genéricos não serão retribuídos.