Oi, gente. Vocês estão bem?

Voltamos hoje com mais um post de Lançamentos do Catálogo Literário - Grupo Editorial Record. Vem conferir as novidades imperdíveis do mês de Julho!
Vem ver!


A partir de entrevistas exclusivas, relatórios secretos franceses e pesquisa bibliográfica extensa, a autora revela como foram aplicados no Cone Sul os métodos da doutrina francesa de combate à “subversão” e ao “comunismo”. Desdobramento da entrevista do general francês Paul Aussaresses – que ministrava cursos de “interrogatórios coercitivos” em Manaus – à autora, publicada no jornal Folha de S.Paulo. Revela a participação a pessoal do general João Batista Figueiredo na tortura, entre outras informações inéditas. A autora Leneide Duarte-Plon foi finalista do do Prêmio Jabuti 2015 – Reportagem com o livro Um homem torturado: Nos passos de frei Tito de Alencar, que escreveu com Clarisse Meireles e publicado pela Civilização Brasileira. Contribui para diversos veículos da imprensa brasileira, como Carta Capital, Carta Maior e Observatório da Imprensa.


Desesperado para fugir de Curitiba, sua cidade natal e cárcere pessoal, o jovem escritor Daniel Hauptmann se entrega obsessivamente à tarefa que acredita ser sua tábua de salvação: produzir uma obra literária definitiva sobre o Demônio, que afirma nunca ter recebido uma representação adequada na literatura brasileira. O resultado o consagra ao posto de fenômeno instantâneo e o leva à elite da cultura nacional. O custo de sua empreitada, porém, torna-se uma sombra que se intensifica quanto maior seu prestígio e sucesso, transformando o rapaz brilhante e carismático em criatura niilista, temperamental e destrutiva. Diogo Rosas G. nasceu em 1976, em Curitiba, e morou em seis cidades de cinco países. No caminho, estudou direito, tradução e filosofia. É diplomata e atualmente vive no Porto com a mulher e os dois filhos.


Com o rigor de um scholar e a força argumentativa de um polemista, Francisco Razzo expõe uma tese perturbadora: esquerda, direita ou centro, somos todos responsáveis pelas jaulas voluntárias de nossas ideologias. A imaginação totalitária é a estreia promissora de um escritor que quer nos perturbar sem fazer nenhuma concessão. E, sobretudo, o relato de um exorcismo pessoal de alguém que também quer expulsar os demônios que infestam a atual sociedade brasileira – especialmente quando esta crê que a política é a última esperança que nos resta. Francisco Razzo é formado pela Faculdade de São Bento, em São Paulo, mestre em filosofia pela PUC-SP, professor e palestrante. A imaginação totalitária é seu primeiro livro.



De forma inédita, as obras e as declarações públicas de Cazuza e Renato Russo são analisadas à luz da conjuntura nacional. O livro deixa claro como as mudanças na cena musical refletiram em transformações na sociedade. Cazuza e Renato Russo têm sido lembrados nas redes sociais por pessoas indignadas com a política brasileira de hoje e este livro analisa, por meio das letras dos dois artistas, as visões e expectativas populares do Brasil nas décadas de 1980 e 1990. Leitura imperdível para os apaixonados por música e política. O texto que deu origem ao livro recebeu o 2o lugar no Prêmio Vianna Moog, da União Brasileira de Escritores, em 2013. E o valor recolhido pelo autor com este livro será destinada à Sociedade Viva Cazuza. Orelha de Silvio Essinger, autor de Não aprendi dizer adeus (biografia do cantor Leonardo) e Batidão: Uma história do funk. 


Este livro ajuda o leitor a resgatar a capacidade de sonhar e empreender mudanças objetivas para realizar suas metas. A obra reúne histórias de mais de 50 realizadores de sonhos de todas as regiões do país. São relatos que nos revelam como várias empresas e iniciativas vencedoras nasceram dos sonhos íntimos de seus idealizadores. Neste passo a passo para fazer acontecer e ter sucesso, César Souza desafia o leitor a acreditar no seu potencial e a buscar recursos e aliados para concretizar os seus sonhos. A primeira versão do livro foi publicada em 2003 e tornou-se best-seller. Depois, ganhou nova edição em 2009; e agora esta edição definitiva com Prefácio de Ozires Silva, fundador da Embraer. Best-seller com mais de duzentos mil exemplares vendidos. 



A Fome é um livro construído a partir de histórias de pessoas que trabalham em condições bastante precárias para mitigá-la, daqueles que usam o alimento como meio de especulação financeira provocando fome em muita gente. Para entendê-la e narrá-la, Martín Caparrós viajou pela Índia, Bangladesh, Níger, Quênia, Sudão, Madagascar, Argentina, Estados Unidos e Espanha. Nestes países, encontrou pessoas que, por diferentes motivos, passam fome. Incômodo e apaixonado, é uma crônica que faz pensar, um ensaio que relata e um panfleto que denuncia a pressão de uma vergonha incessante. Recebido com imenso entusiasmo de crítica e público, A Fome tem publicação prevista em mais de quinze países, entre eles Inglaterra, França, Itália, Alemanha, Holanda, Suécia, Estados Unidos e Taiwan. 


Com uma passionalidade reflexiva e racional, o autor, notável por sua prosa absolutamente passional e sincera, protege seu ímpeto sem perder a responsabilidade. Um atlas do que Carpinejar acredita ser um relacionamento, Felicidade Incurável trata de mudança de mentalidade amorosa e da família, diferentes fins de casamento, amizades em tempos eletrônicos, divertidas implicâncias de casal, debate sobre o que é alegria e liberdade e sugere: seja feliz por uma questão de justiça pessoal. Novo livro de crônicas do autor que já ultrapassou a marca de 130 mil livros vendidos. Autor sucesso na TV como comentarista do programa Encontro com Fátima Bernardes (Rede Globo) e A Máquina (TV Gazeta); vencedor de importantes prêmios literários, como o Jabuti (2009 e 2012), o Olavo Bilac (2003), o Cecília Meireles (2002) e o Açorianos de Literatura (2001, 2002, 2010 e 2012). 

Sophie Kasiki trabalhava como assistente social nos subúrbios de Paris quando três dos jovens que auxiliava abandonaram a França para se juntar ao Estado Islâmico, na Síria. Em pouco tempo, aqueles que ela carinhosamente chamava de “os meninos” voltariam a procurá-la. A princípio, Sophie ingenuamente esperava convencê-los a voltar, mas o que aconteceria seria exatamente o oposto. Em Nas sombras do Estado Islâmico, Sophie Kasiki relata, de forma muito emocionante, todo o terror que passou na cidade de Raqqa, coração do Estado Islâmico na Síria. Em seu primeiro livro, Sophie Kasiki revela detalhes de todo o período em que passou como refém do Estado Islâmico. Um relato arriscado de uma das poucas sobreviventes da prisão do exército jihadista. O Estado Islâmico é um assunto de grande relevância no cenário internacional atualmente. 


Enquanto declinava ou era abolida em determinadas zonas do Novo Mundo, a escravidão reflorescia no Sul dos Estados Unidos, em Cuba e no Brasil. Tais transformações suscitam questionamentos que este livro busca responder, ainda que de formas distintas, quando não divergentes. Primeira publicação que discute a escravidão tardia de Brasil, Cuba e Estados Unidos. Reúne textos de autores estrangeiros inéditos no país e principais autores brasileiros sobre o conceito de “segunda escravidão” Rafael Marquese é professor do Departamento de História da USP e coordenador do Laboratório de Estudos sobre o Brasil e o Sistema Mundial (Lab-Mundi-USP). Autor de Feitores do corpo, missionários da mente: Senhores, letrados e o controle dos escravos nas Américas, 1660-1860 (Companhia das Letras, 2004). Ricardo Salles é professor de História na Unirio, autor de Nostalgia imperial: escravidão e formação da identidade nacional no Brasil do Segundo Reinado (Ponteio, 2013, 2a ed.).

Como assegurar que não somos meros sonhos de um criador que desconhecemos, e por que confiar em sua existência? Partindo do dilema borgiano de uma mulher que se vê personagem de uma obra de ficção e de todas as reflexões que passa a ter em função disso, Estevão Azevedo alinhava sutilmente referências literárias que vão de Homero a Vinicius de Moraes, passando por Camus, João Cabral de Melo Neto e, sobretudo, Machado de Assis. O resultado é um romance metaliterário, que, em vez de se propor erudito, sugere um pacto lúdico ao leitor. Edição revista pelo autor, com posfácio inédito Estevão Azevedo tem contos publicados em revistas e na antologia de escritores brasileiros Popcorn unterm Zuckerhut – Junge brasilianische Literatur, lançada em 2013, na Alemanha. Tempo de espalhar pedras (Cosac Naify, 2014) foi eleito o Livro do Ano pelo Prêmio São Paulo de Literatura de 2015.

Nos últimos meses do pontificado de João Paulo II, uma misteriosa exposição é montada nos Museus do Vaticano. Seu curador, Ugo Nogara, alega ter descoberto um grande segredo, porém, uma semana antes, ele é encontrado morto. Na mesma noite, a casa dos padres Alex e Simon é invadida. A polícia não consegue encontrar um suspeito e Alex inicia sua própria investigação. Para encontrar o culpado, ele precisa descobrir o segredo mantido por Ugo a qualquer custo. Comparado pela crítica norte-americana a Umberto Eco e Scott Fitzgerald, Ian Caldwell é coautor do best-seller O enigma do quatro, que vendeu mais de 2 milhões de exemplares nos Estados Unidos e foi traduzido para 35 idiomas. Escrito após dez anos de extensa pesquisa, O quinto evangelho já foi publicado em vinte países.


Stephen R. Covey apresenta cinco hábitos para incorporar no dia a dia e ter uma experiência de vida mais eficaz. O leitor encontrará a solução de muitos problemas ao simplesmente deixar a natureza lhe ensinar sobre as leis naturais e como cuidar de relacionamentos, aumentar seu nível de autoconhecimento e guiar suas escolhas. Stephen R. Covey, um dos 25 norte-americanos mais influentes segundo a revista Time, dedicou sua vida a ensinar pessoas a reescreverem seu futuro e terem pleno controle diante do destino. Já vendeu mais de 25 milhões de livros, que foram traduzidos para mais de 38 idiomas. Entre eles, destaca-se Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes, considerado o livro de negócios mais influente do século XX. Entre seus outros sucessos de venda estão Vivendo os 7 hábitos, Os 7 hábitos das famílias altamente eficazes e Os 7 hábitos dos adolescentes altamente eficazes, todos lançados pela editora BestSeller. 

De maneira sarcástica e um tanto nonsense, Brautigan conta episódios passados em euMorte, um lugar onde quase tudo é feito de açúcar de melancia. Com uma linguagem original e poética, o autor nos transporta para um ambiente surrealista, mas que também se assemelha ao cotidiano banal de uma pessoa comum. Uma crítica bem-humorada à mecanicidade das nossas ações. “A primeira vez que li Vonnegut e Brautigan fiquei chocado ao descobrir livros tão bons! Era como descobrir o Novo Mundo.” - Haruki Murakami, The Paris Review.







María veio para a América em busca de um sonho. Ao ser acusada e sentenciada por matar o marido, ela precisa se esforçar para provar sua inocência. Mas a liberdade pode lhe forçar a encarar um horror ainda maior que está à sua espera do outro lado das muralhas da prisão. Laura Restrepo ganhou diversos prêmios, dentre eles o Premio Arzobispo San Clemente, o VII Premio Alfaguara de Novella, Grinzane Cavour na Itália por melhor ficção estrangeira e o Guggenheim Foundation Fellowship. Entre seus livros de maior prestígio estão Doce companhia, O leopardo ao sol e Delírio, este último, incluso na Coleção Folha de Literatura Ibero- Americana. “Restrepo é capaz de capturar totalmente nossa atenção conforme nos identificamos com María Paz (...). Há, mais do que qualquer outra coisa, um senso de humanidade e redenção neste romance. O resto é política.” — World Literature Today.

Em Entropia, Alexandre Marques Rodrigues mais uma vez mostra pleno domínio das técnicas narrativas. O jogo de identidades entre personagens – que perturba o leitor tanto quanto lhe impõe investigá-los, decifrá- los, mapeá-los, confirmá-los a cada página – é caso muito sério, ocasião em que a literatura capta o espírito dissolvido de um tempo sem que da engenharia do escritor se ouça o mais mínimo ruído. Alexandre Marques Rodrigues nasceu em 1979, na cidade de Santos, litoral de São Paulo. É formado em Psicologia pela Universidade Católica de Santos. Seu livro de estreia, Parafilias, publicado pela Record, foi vencedor do Prêmio Sesc de Literatura 2014, na categoria Contos, e finalista do Prêmio Jabuti. 




Ao enfocar as relações entre intelectuais e mediação cultural, este livro contribui para expandir os limites que costumam circunscrever as reflexões sobre a categoria intelectual, além de desenvolver e testar as potencialidades das categorias de intelectual mediador e de mediação cultural para a historiografia. Primeiro livro no Brasil que compreende mediadores culturais como intelectuais Linha de pensamento arrojada, que entende como intelectuais livreiros, editores, tradutores, escritores, professores, autores de obras para o público infantil, entre outros. Assunto interdisciplinar, que tem como público acadêmicos de áreas diversas do conhecimento – de humanas a exatas.








1845: O Corvo, de Edgar Allan Poe, alcança os padrões de perfeição literária e está no auge da moda – sucesso com o qual uma poetisa esforçada como Frances Osgood só pode sonhar. Apesar de não ser grande fã dos escritos de Poe, ela vê com entusiasmo a chance de conhecê-lo e, em um sarau literário, fica atraída por sua magnética presença. Flerte e sedução culminam em um romance proibido. Mas quando a frágil mulher de Edgar insiste em se tornar amiga de Frances, o relacionamento se torna tão ambíguo e tortuoso quanto um dos contos de Poe. Inspirado na vida e na escrita de Poe e Osgood, e baseado em autênticos detalhes históricos, Sra. Poe é uma história de tragédia e perda envolta em uma aura de paixão e vitalidade Lynn Cullen é autora premiada de livros infantis e do aclamado romance juvenil I Am Rembrandt’s Daughter. “Uma viagem sedutora e vívida para o auge da sociedade literária americana.” — Oprah.com.

O livro é baseado na vida de Samia, a menina determinada a ser uma atleta de sucesso que cresceu numa Somália devastada pela guerra. Um dia, com a família em perigo, sua irmã faz uma viagem para a Europa, como refugiada. Pouco tempo depois, Samia resolve seguir os passos da irmã, e com isso coloca a própria vida nas mãos de traficantes de pessoas. O livro já foi publicado em mais de dez línguas em todo o mundo e está sendo adaptado para o cinema. Também venceu o Prêmio Strega Giovani, na Itália. O autor escreve para La Repubblica, L’Espresso, Vanity Fair e para a edição italiana do Financial Times e é Embaixador da Boa Vontade do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados. Os temas “Olimpíadas” e “refugiados” estão em destaque no momento do lançamento e a imprensa dará bastante destaque a este lançamento. O livro foi incluído no Catálogo Escolar da Record, por se destinar também para um público mais jovem.



Gostaram das novidades? Se interessaram por algum lançamento?
Comentem aqui o que acharam!


Acompanhe o Grupo Editorial Record nas redes: 
 


4 Comentários

  1. Vi várias dicas para complementar o Desafio do Crônica ai nesse catálogo, esse Na Sombras do Estado Islâmico vai entrar pra listo com "com certeza" preciso desse, e como Julho é mês do meu aniversário to aceitando de presente <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adoramos os lançamentos desse mês <3
      Tomara que ganhe muitos livros, AHAHAHAHA

      Excluir

Ao final do comentário deixe o seu link, se tiver, teremos o maior prazer em retribuir a visita e o carinho ❤
Se você nao tem uma conta no Google, pode comentar usando "Nome/URL".
P.S. Comentários genéricos não serão retribuídos.