Oi, gente! Tudo bem com vocês?

Passando aqui depois de muuuuuuito tempo para atualizar as resenhas do blog, não é?
Espero que em 2017 eu consiga me organizar direitinho para postar, por aqui está tudo passando por diversas mudanças.
O livro que escolhi para reabrir a categoria de resenhas foi A Noiva Devota, o livro dois da série Família Hallinson da Mari Scotti. Tinha me prometido, depois de ler Montanha da Lua (resenha aqui), que leria mais romances históricos mas algumas leituras foram passando para a frente na lista e o segundo livro do gênero que li foi também da queridíssima Mari.
Antes de começar a falar do livro preciso agradecer, dessa vez em público, à Mari pela paciência em ouvir meus pitacos sobre a história e por ser não só uma autora como uma pessoa incrível!

Vamos à resenha?

Atenção: essa resenha pode conter spoilers sobre o futuro de alguns personagens de Montanha da Lua.
Nascer um Hallinson jamais foi tão promissor como em sua geração, no entanto, carregar esse sobrenome era ao mesmo tempo uma dádiva e uma maldição para os herdeiros do amor lendário de Mical e Octávio. Tudo porque Madascocia tornou-se a cidade do casal que venceu uma maldição. Muitos curiosos passaram a visitá-la em busca de felicidade, amor eterno, casamentos duradouros e a solução para seus dilemas. Além das inúmeras superstições como passar pela sombra de um Hallinson; lançar cartas ao rio Llyin que corta a Mansão de Bousquet; as donzelas e matriarcas almejavam matrimônio com um dos jovens herdeiros.
Tentando adiar ao máximo esse desfecho, Samuel prolongou os estudos, mas, a saudade de uma donzela o faz retornar para casa antes do previsto.
É em um baile que todos os seus planos de a cortejar ruem. Flagrado em uma situação comprometedora, vê-se obrigado a se casar.

Ela sempre soube como se esconder da sociedade, como passar desapercebida entre as pessoas e não chamar atenção. Não que fosse complicado, ela era a mais nova das filhas, a menos formosa de sua casa. A que nasceu com uma ofensiva deficiência. Por acreditar que jamais seria notada, Rosalina guardou um grande segredo: seu amor por Samuel Hallinson. O que ela não esperava era cruzar o caminho do rapaz em um dos momentos mais constrangedores de sua vida e mudar seus destinos bruscamente.

Primeiramente: se você não leu a resenha de Montanha da Lua aqui no blog recomendo fortemente que faça isso, só assim você vai entender um pouco a ansiedade em que estava para ler esse livro!

A Noiva Devota trata da história de Samuel Hallinson (filho mais novo de Mical e Octávio, casal amorzinho de Montanha da Lua), um jovem formado em direito mas que não exerce a profissão e busca na sua segunda graduação, em engenharia, a realização profissional. Samuel, como a maioria dos filhos mais novos da época, sente-se desvalorizado na sociedade em que vive por não ser o futuro duque de Bousquet e, mesmo contando com o tratamento igual por parte dos pais e sendo desejado por várias moças de Madascocia, isso reflete-se em sua personalidade diretamente tornando-o extremamente inseguro.
Observação aqui pra contar que, antes de ler o livro, quando a Mari falou que o defeito dele era a insegurança não o achei tão grave a ponto de me fazer amá-lo ao ver que mudou, como aconteceu com Octávio, mas gente (!) esse negócio de indecisão é mesmo complicado, AHAHAHAH.

"Era filho da lenda. E precisava superar expectativas além da minha própria capacidade."


Além do ponto de vista de Samuel o livro traz a história sob a perspectiva de Rosalina Acker. Assim como Samuel, Rosalina é a mais jovem em sua casa e, portanto, vive à sombra de sua irmã Isabel, considerada mais bela e mais atraente (talvez mais por Rosalina do que por todos os outros em si). Rosalina é, desde a sua infância, apaixonada por Samuel e vê nele não só a possibilidade de um casamento promissor como a chance de casar com o amor de sua vida. Uma moça extremamente romântica que, ao contrário de sua mãe e irmã, não pensa em casar-se por status mas por um sentimento intenso e correspondido. Além de ser a irmã mais nova Rosalina ainda possui um pequeno defeito nas pernas, tendo uma maior do que a outra, que interfere em sua postura e a obriga a usar diversas meias para disfarçar a "imperfeição". Isso, em minha opinião, só faz a personagem ainda mais incrível, suas emoções e inseguranças são tão reais que por vezes me fizeram sentir como se ouvisse o desabafo de uma amiga.

Na história, a "confusão" é formada quando Samuel, encantado por Isabel, deixa a faculdade e volta à Madascocia comparecendo à um baile, com a intenção de encontrá-la, e percebe que esta está na verdade interessada em seu irmão mais velho, o futuro duque de Bousquet, Gregório. É então que em um momento de decepção e tensão, de ambas as partes, o caminho de Samuel e Rosalina finalmente se cruzam!

"Samuel não desviou o olhar do meu até estar tão perto que fechei os olhos em reflexo. Senti sua respiração passar por meu rosto, seu nariz tocando minha bochecha e descendo devagar até o meu pescoço. Os dedos dele afastaram a gola de meu vestido e seu hálito quente tocou a minha pele, me deixando ofegante rapidamente."


Não vou contar mais do enredo para não tirar o gostinho de descobrirem a situação engraçada/quase trágica que colocou um no caminho do outro, vocês vão ter que ler!
O livro, como já foi contado, é narrado sob a perspectiva dos dois e, assim como no livro um, tem um outro narrador que participa em um dos capítulos mas que eu também não vou contar qual é.
Para quem já conhece a escrita da autora o livro não foge do esperado, a linguagem que a Mari apresenta no livro, como sempre, nos transporta para lá e nos prende de uma forma que é impossível não querer acabar mesmo durante a madrugada e morrendo de sono.

As personalidades de todos os personagens são extremamente bem construídas, dos principais aos secundários, todos agem de uma maneira muito real. Novamente a construção do local em que se passa  história, o clima, a estruturação política das famílias e até mesmo um pouco da noção territorial de Madascocia é, brilhantemente, mostrada. Fiquei mais uma vez positivamente impressionada com o que descobri sobre o local, não só no livro como em conversas com a Mari, é possível perceber que a história, dos personagens ao cenário, é muito rica e detalhada, o que só me deixa ainda mais ansiosa para o livro três.

Não preciso dizer que você precisa ler esse livro, não é?
Não é só um romance histórico, é uma história arrebatadora sobre amor, devoção e principalmente sobre o poder que o amor sincero tem de fazer reencontrar a segurança mesmo, e principalmente, quando a pessoa não é capaz de se aceitar.
A história contada nos mostra que não é preciso que duas personagens consideradas as melhores em tudo se envolvam para criar um romance incrível, é necessário apenas o imperfeito, assim como no amor, onde supostos coadjuvantes criam seu próprio caminho e se tornam protagonistas de suas histórias.


Classificação:
O livro (versão digital) está em pré-venda na Amazon e será lançado no dia 20/12/2016. Garanta logo o seu nesse LINK!
Sobre a obra:
Redes Sociais da autora:
Já conhecia o livro? Já leu?
Comenta aqui o que achou da resenha, vamos conversar sobre A Noiva Devota!


Deixe um comentário

Ao final do comentário deixe o seu link, se tiver, teremos o maior prazer em retribuir a visita e o carinho ❤
Se você nao tem uma conta no Google, pode comentar usando "Nome/URL".
P.S. Comentários genéricos não serão retribuídos.