Oi, leitores! Como estão? 

Hoje estou aqui com a resenha de um livro maravilhoso e que me conquistou imediatamente: O Olhar de Milo, de Virginia MacGregor. Ele foi mais do que indicado por minha prima Vitória e por isso representará o item 15 do Desafio LiterárioUm livro que algum parente seu ama.

Milo Moon tem nove anos e sofre de retinite pigmentosa. Ele está perdendo a visão e logo ficará cego. Mas, por enquanto, vê o mundo por um buraco de agulha e percebe coisas que as outras pessoas não notam. Mas quando a adorada avó de Milo começa a sofrer de demência e vai para uma casa de repouso, ele percebe que há algo de muito errado naquele lugar. Os adultos não lhe dão atenção e, por isso, com a ajuda do cozinheiro Tripi e de Hamlet, seu porquinho de estimação, Milo decide mostrar o que realmente acontece na casa de repouso e quem é a sinistra enfermeira Thornhill. Perspicaz, inteligente e surpreendente, O olhar de Milo é um romance cheio de grandes ideias, verdades simples e uma mensagem emocionante, capaz de tocar todas as pessoas. Milo vê o mundo de uma forma muito especial e será impossível não se apaixonar por ele, saborear cada momento e depois compartilhar sua história.

Eu penso que não tem melhor palavra para de descrever o livro do que delicadeza. Foi delicioso poder ler, com leveza e delicadeza, assuntos que seriam tão difícil de serem tocados. A história toda foi contada em terceira pessoa por quatro personagens diferentes, nos mostrando a percepção de cada um deles sobre os acontecimentos. 
“A senhora Harris inclinou-se em sua direção para encontrar seu olhar, mas ele mirou o chão. Essa era uma das coisas boas da retinite pigmentosa: poder bloquear as pessoas quando se tornavam irritantes.”
Primeiro conhecemos Milo Moon, garotinho muito inteligente e esperto de quase 10 anos que tem Retinite Pigmentosa, o que faz ele enxergar muito pouco, sem as áreas periféricas da visão e infelizmente um dia ficará completamente cego. Ele mora na cidade de Slipton na Inglaterra, com a mãe Sandy, a avó Louisa que mora em um quartinho no sótão, e o porquinho de estimação Hamlet. O interessante de lermos sob a perspectiva dele é só conhecermos seus parentes por Mamãe, Papai e Vovó. Por ter uma condição especial, Milo tem os outros sentidos muito apurados e que são constantemente desenvolvidos pela sua querida Vovó (que é avó do pai dele, portanto bisavó), que treina ele no quartinho do sótão por horas e horas. Talvez por isso, o menino a ame tanto e não se importe de estar sempre cuidando dela. 
A Mamãe de Milo é a Sandy, mulher de 27 anos que trabalha em um salão instalado na própria casa, e que está sempre procurando clientes para poder pagar a hipoteca e as demais despesas. Sandy é muito amargurada e insegura de si mesma, desde que Andy (pai de Milo) abandonou a família para ir morar em Abu Dhabi com a amante. 
“Sandy soprou a fumaça para o alto e amaldiçoou a lua. Andy, aquele desgraçado, deixando-a sozinha para lidar com tudo aquilo. Ela desejava que seu bebê com a Vadia se tornasse um demônio do inferno.” 
Apesar de parecer muito dura, através da narrativa dela podemos perceber que foi muito difícil ser mãe antes dos 18 anos, construir uma família e ver tudo ruir de repente, e ter que carregar tanta responsabilidade. Por levar uma vida tão difícil, a Mamãe não dá a devida atenção ao filho e por muitas vezes briga com ele, descontando também no porquinho Hamlet o que provoca a fúria de Milo. E a relação deles piora quando ela decide procurar um asilo para a Vovó, que causou um pequeno incêndio na cozinha.

"Ou seria sua mente vagando de novo, mudando os discos de tempo como aquelas grandes placas que se moviam sob a terra?"

A Vovó Louisa é a tutora de Milo e apesar de ser muito frágil, pois após alguns derrames e não falar desde a morte do marido , ainda precisa tomar remédios contra a perda de memória. Ainda assim a Vovó se esforça muito para dar ao bisneto o apoio que ele precisa . Ela adora a companhia de Milo mas pela perspectiva dela vemos que ela não acha justo uma criança estar preocupada em cuidar de uma "velha" de 92 anos ao invés de estar brincando com seus amiguinhos. Por isso, quando é decidido que ela vai à uma casa de repouso, a sensação é de alívio e dever cumprido.
É claro que Milo, muito apegado à bisavó e teimoso, não gosta da decisão e põe toda a culpa na mãe.
"Milo sentiu os olhos escurecerem . Estava cansado de olhar para o mundo e descobrir coisas de que não gostava. Às vezes desejava que seus olhos se apressassem e ele ficasse cego de uma vez."
Depois de visitarem alguns abrigos pela cidade, decidem que a Vó Lou vai morar no Lar Não Me Esqueças, um lugar aparentemente agradável mas que de imediato Milo percebe que tem algo de errado, a começar pelo sorriso falso da Enfermeira Thornhill que é a responsável pelo local. O garoto então resolveu descobrir o que tem de estranho e que tem que levar a Vovó de volta pra casa. Para isso, ele vai contar com a ajuda do cozinheiro Tripi, um jovem de 24 anos refugiado da Síria e que se perdeu da irmãzinha ao tentarem passar da fronteira. Tripi não tem visto de trabalho e mora na rua, então preza muito pelo emprego no Lar Não Me Esqueças, apesar de não concordar com algumas coisas que vê por lá.
"Tripi pensou que gostaria de ser velho o suficiente para sentir o que Petros sentia. Muitas das pessoas de sua terra natal jamais chegariam àquela idade. Algumas crianças jamais terminariam a escola."
A partir daí começa a grande aventura de O Olhar de Milo, que e descobrir se realmente o Lar é um lugar ruim para a Vovó ficar, enquanto Milo lida com a dificuldade na visão e a conturbada relação com a Mamãe Sandy, que agora além das antigas dívidas tem que se preocupar com a conta do abrigo.
O Olhar de Milo é um livro encantador, muito gostoso de ler pelo cuidado que tem ao falar de temas tão complicados de abordar e, apesar de ser direcionado para o público juvenil, pessoas de todas as idades deveriam ler e se emocionar com ele do início até o fim.

Classificação:




18 Comentários

  1. Oi, Lara!
    Só de ler sua resenha, os olhos já encheram de lágrima imaginando como seria essa história.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luiza! É uma história muito triste e bonita ao mesmo tempo, e até passar um pouco dela pro papel dá um apertozinho na garganta! Leia também quando puder! Beijo!

      Excluir
  2. Eu adorei a resenha Lara, você conseguiu me passar as angústias e ao mesmo tempo a leveza que o livro traz.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Bárbara! Uma emocionante história, não é?
      Beijo!

      Excluir
  3. Gostei demais da sua resenha, ainda não conhecia esse livro, e fico tão feliz que as editoras estão apostando em livros com temas mais fortes para o público mais jovem.
    Vou procurar para adicionar a minha meta de leitura.
    Beijo

    www.tecontopoesia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Camila!
      E concordo com você, precisamos de mais livros assim. Esse, com certeza, vou fazer questão que minhas sobrinhas e meus futuros filhos leiam!
      Beijo!

      Excluir
  4. Oi Lara, não conhecia este livro... mas pela sua resenha parece muito interessante... ai ai só fico pensando se vou chorar... rsrsrs

    livros terapias / Fan page

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Laila! Acho que a pergunta seria em qual parte você iria chorar! Haha! Beijo!

      Excluir
  5. Oi lara!
    Acabei de conhecer esse livro. Gostei mt da capa, da premissa, mas não fiquei com aquela vontade de ler.
    Não vou arriscar colocar na lista porque já tem tantos pra 2016... Hahaha. Mas a resenha tá ótima, beijos.
    Menina da Livraria


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Não se preocupe, porque na hora certa um certo livro sempre te acha! Beijos!

      Excluir
  6. Oi Lara,
    Parece realmente ser um livro delicado, já pela capa podemos dizer isso.
    Gostei da premissa, mas não sei se leria agora.
    Bjs e seguindo de volta *-*
    http://diarioelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jéssica! É verdade, também gostei da capa desde o começo!
      Beijo!

      Excluir
  7. Olá, nunca li uma resenha deste livro. Acredita?
    ashuas
    Gostei de sua resenha mas confesso que não é lá um livro que leria, apesar de achar a capa uma gracinha!

    blogexplicita.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Rebeca!
      Acho que se não fosse por indicação da minha prima eu também nem saberia desse livro. Mas fico feliz de tê-lo conhecido!
      Beijos!

      Excluir
  8. Oi Lara, tudo bem ???
    Sabe, se não tivesse a chance de ler sua resenha, provavelmente nunca teria conhecido esse livro. Acho que nunca vi ele por aí, se vi, provavelmente não dei a atenção que devia, pois parece ser uma história bem fofa e interessante.
    Uma das coisas que mais me chamou a atenção durante a sua resenha, foi o fato de que o animalzinho de estimação do menino é um porquinho !!! Nunca tinha visto nada do tipo em livros, e achei muito legal !!!

    Beijinhos
    Hear the Bells

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem sim, Ryoko! E com você?
      É verdade mesmo! Tanto é incomum que no começo eu achava que era um porquinho-da-Índia! E depois é explicado como ele foi escolhido para acompanhar o Milo nessas aventuras!
      Beijo!

      Excluir
  9. Eu adorei a resenha, deve ser muito bom esse livro ! Beijos Maite

    http://maiteaissa.com/

    ResponderExcluir

Ao final do comentário deixe o seu link, se tiver, teremos o maior prazer em retribuir a visita e o carinho ❤
Se você nao tem uma conta no Google, pode comentar usando "Nome/URL".
P.S. Comentários genéricos não serão retribuídos.