Olá leitores, tudo bem?

Hoje eu vim aqui, super feliz, resenhar o primeiro ebook que recebemos em parceria com a Editora Draco! Quando a Athena avisou quais eram os ebooks fiquei animadíssima, principalmente quando vi que entre eles estava Um Toque de Morte, da Luiza Salazar, do qual eu já havia lido a sinopse e amado 

E se a Morte estivesse sempre ao alcance de suas mãos?
Pode me chamar de Kat. Eu daria tudo para ser apenas uma jovem universitária, preocupar-me com os assuntos discutidos nos trens, nos corredores das escolas, nas ruas: qual roupa vestir na festa, qual o futuro da política do país, quem vai ganhar o jogo esta noite. É, você entendeu.
Mas na minha cabeça só há espaço para uma preocupação: quem será a minha próxima vítima.
Eu sou uma Ceifadora. Isso significa que posso matar com um simples toque das mãos, um dom que desejava todos os dias não possuir. Mas quando aqueles dois estranhos apareceram na minha vida e fizeram tudo virar de pernas pro ar, comecei a entender que existem pessoas que fariam de tudo para controlar esse meu poder indesejável. Até mesmo me matar. É até irônico, né?
Um Toque de Morte é um romance fantástico de Luiza Salazar, uma aventura pelas sombras que se escondem nos becos da cidade.
Não se deixar envolver, não se aproximar demais. Essa é a maldição dos Ceifadores, não poder sentir o mundo com a própria pele.

O submundo ao qual Katherine Brown pertence divide-se entre a Ordem e a Legião, dois lados de uma mesma moeda que coexistem e, apesar de opostos, prezam pelo "equilíbrio". Ou pelo menos prezavam...
Quando um desses lados lança mão de táticas suspeitas e quebra as regras antes acordadas pelas partes nem mesmo o ambiente "neutro" consegue permanecer de fora. Tudo que Katherine pensava conhecer sobre os "de sua espécie" parece abalado por forças que não consegue explicar. Uma trégua de cerca de cem anos nunca esteve tão perto do fim e uma batalha quase silenciosa é travada com o objetivo de recrutá-la. Katherine é uma Ceifadora, até onde se sabe a última viva, o poder que emana de suas mãos é cobiçado por ambos os lados e a decisão de escolher por um desses grupos afetará o equilíbrio. Em suas mãos ela possui habilidade de controlar a vida e a morte com um simples toque, mas antes de escolher em que lado irá lutar precisa aprender a dominar seus poderes.

"Eu só estou dizendo que medo de morrer não é nada se comparado ao medo de matar.
Acredite em mim, eu sei."


Conhecemos a Kat com dezessete anos, ela é uma adolescente quase comum que vai ao colégio e mora "de favor" com a colega Rebecca depois de, aos catorze anos, ter fugido do orfanato em que vivia. Rebecca é filha de pais ricos e apesar de se mostrar um tanto consumista e diferente da colega revela-se, durante a trama, bastante perceptiva e discreta. O maior problema da relação entre as duas é que o "dom" de Katherine não permite que ela cultive amizades comuns uma vez que ela é uma espécie de "Rei Midas da Morte". O mais simples toque de suas mãos é capaz de matar, ainda que não intencionalmente, e isso só a faz se culpar mais por não corresponder, totalmente, ao carinho que a amiga nutre por ela.

Para conseguir dinheiro e tentar sair da cidade, com a esperança de levar uma vida mais sossegada, Kat trabalha no submundo desde os catorze anos prestando serviços à clientes por intermédio daquele que ficamos conhecendo como "chefe". Ninguém sabe muito sobre os poderes desse que nos é descrito quase como o Don Corleone de O Poderoso Chefão (inclusive há referências no livro) mas todos o respeitam e o temem, exceto Kat que em determinados momentos demonstra uma coragem digna de prêmio. Claro que não é possível dispensar as conexões que o chefe faz e por mais de uma vez percebemos os perigos que a protagonista enfrenta em seu "trabalho", que consiste em matar pessoas indicadas quase sempre por uma quantia considerável de dinheiro.

"Alguns de nós não sobrevivem, outros ficam loucos, se matam ou se tornam ferramentas para os propósitos escusos de outras pessoas. De uma maneira ou de outra, esperança não é uma palavra que faça parte do nosso vocabulário."


As coisas começam a ficar realmente estranhas quando Kat recebe um "trabalho" e ao tentar realizá-lo depara-se com uma de sua espécie, de olhos violeta e poderes desconhecidos. Após o "incidente" Katherine tem um sonho estranho, que ela identifica como sendo manipulado por um habilidoso Ilusionista (nome dado aos seres capazes de manipular sonhos e implantar ideias - Quem também lembrou do filme A Origem? ahahah) e busca desesperadamente uma forma de dar um "tapa psicológico" quando encontra um garoto em sua visão, que desaparece tão rápido quanto surgiu. Tudo parece ficar ainda mais misterioso quando o mesmo garoto do sonho aparece no seu colégio nesse mesmo dia, mais tarde, provando ser, indiscutivelmente, como ela: "especial". Seu nome: Vince.

Vincent, ou Vince, parece controlar todos à sua volta com uma espécie de "poder de persuasão" muito forte, o que logo aprendemos ser característica dos Ventríloquos. No que, logo de início, parece ser um intervalo muito curto para coincidências um segundo garoto de olhos violeta aparece, Eric. Demonstrando, imediatamente, alguma antipatia por Vince e disputando a atenção de Kat os dois parecem brigar por muito mais do que um encontro. Aos poucos somos apresentados a mais alguns detalhes da história, como o fato de Eric ser um Metamorfo (ser capaz de se transformar em um animal) e o principal motivo de ele e Vince serem rivais, e Kat passa a conhecer os dois grandes grupos que controlam o submundo: a Ordem e a Legião

"Existem regras entre nós - Vladimir continua. - E uma delas é que não podemos interferir no livre arbítrio. Cada membro destes dois grupos deve entrar por conta própria, deixar que suas ações digam a que lado ele pertence."


Ambos os lados tentam recrutá-la mas nenhum dos dois parece disposto a contar toda a verdade, por isso cabe à ela seguir seus instintos e descobrir os motivos que os movem. O problema é que, no meio de toda essa confusão, perceber quem está certo ou errado não é nada fácil, ambos os lados demonstram esconder segredos e ninguém parece disposto a dar respostas à Kat sem antes ter certeza de sua fidelidade ao grupo - o que só é provado diante de uma jura. A escolha  de Kat, no entanto, vai além de bem ou mal, clareza ou escuridão. É preciso escolher um lado, e dessa decisão não se pode voltar atrás.

As personagens criadas pela Luiza são muito bem construídas, a começar pela própria Katherine que não demonstra aquela tão comum síndrome do coitadismo e incontáveis vezes ergue-se ciente do poder que tem, literalmente, nas mãos. 

"Afinal de contas, ela tem um pouco de razão. Matar é o que eu sei fazer de melhor e eu nem precisei me esforçar pra isso. Não haverá algum recado do divino embutido nisso tudo?"


Além disso não é, de forma alguma, o tipo de personagem que espera ser salva e que sonha, irremediavelmente, com sua vida amorosa. Apesar de o livro esboçar uma espécie de triângulo - não sei se amoroso, ahahha - desde o início (acho que pela resenha deu pra perceber, né?) não é o foco da narrativa e não se trata daquelas relações traumatizantes onde o garoto "errado" atraí enquanto o que se preocupa é deixado de lado. Tudo isso talvez seja, também, pelo fato de não termos, assim como a protagonista, muitas pistas sobre quem está mesmo ao seu lado e, devo dizer que, diversas vezes me peguei "trocando de lado" na torcida. Outra personagem que merece total destaque é Rebecca que nada mais é do que a coadjuvante mais marcante que já conheci; ela não participa, em si, dos atos principais mas sua atitude misteriosa me faz desconfiar que a autora tem reservado pra ela em Um Beijo de Morte muito mais do que fez parecer no primeiro livro. Além destes existem outras personagens incríveis como Roxie que é uma belíssima Artista (capaz de criar objetos (?) a partir de desenhos que faz com o seu sangue) e Vlad que apesar de misterioso se mostra bastante protetor no decorrer da história. 

A história é tão bem construída e dinâmica que aos poucos vamos nos acostumando com cada habilidade e nos envolvendo cada vez mais no submundo. Entre treinos, demonstrações de poder e disputas é impossível tirar os olhos das páginas e ao final, apesar de ser esperado que sejamos capazes de escolhermos um lado sem duvidar, nos vemos totalmente divididos ante os personagens dotados das habilidades de que tanto gostamos. De qualquer sorte, ainda assim, desejo que, ao final da leitura, suas intuições e ações te guiem pra o lado certo "da força", afinal, ninguém quer estar do lado contrário à uma Ceifadora, não é?

Classificação: 


Compre pela Editora Draco clicando nos botões abaixo. 
(Frete incluso para todo o Brasil)


Ou através dos parceiros:



12 Comentários

  1. Adorei a resenha. Me empolguei com o submundo, me empolguei com os personagens e principalmente como a Kat foi descrita, graças a Deus uma personagem que dá gosto de ler! Essa coisa de dois lados que a protagonista tem que escolher sempre me deixa muito agoniada! Mas gostei bastante, será que sai livro físico? Detesto e-books!
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E não é? Percebi que essa agonia com triângulos amorosos é quase uma regra entre os leitores.
      O ponto super positivo do livro é que isso não é o ponto central da narrativa e a sensação que tive é de que isso ajudou bastante a história a não ficar dependendo das cenas românticas para realmente "acontecer", sabe?
      Tem livro físico sim, aqui em cima, no final da postagem, tem os links :)

      Um beijo!

      Excluir
  2. Oi, Adriana!
    Amei a premissa da história! Estava justamente procurando por algo diferente e achei.
    Amei sua resenha também.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lu. Tudo bem?
      O livro é ótimo, se tiver a chance leia sim :)
      Obrigada!

      Um beijo!

      Excluir
  3. Oi Adriana!
    Não conhecia esse livro, mas parece ser muito bom! Eu adoro histórias sobrenaturais e gostei do fato da personagem ser forte. Quero ler.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sora. Tudo bem?
      O livro é bem legal e a protagonista apesar de ter algumas inseguranças não fica se fazendo de vítima como vemos em alguns livros. Achei a segurança dela bem na medida, sabe? Uma personalidade bem verossímil.
      Tenho certeza de que não irá se arrepender!

      Um beijo!

      Excluir
  4. Haha! Adorei! Primeira vez no blog, me encantei com sua forma de escrever. Seguindo o blog viu???
    Beijocas ;*

    ♥ Meu blog ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Quele. Tudo bem?
      Obrigada, retribuindo o carinho :)

      Um beijo!

      Excluir
  5. Oie,


    Não conhecia esse livro e já amei a premissa é bem diferente dos clichês que estamos acostumadas a ver e já vou adicionar como desejado no skoob, seríssimo eu gostei muito do livro, e essa capa é maravilhosa, amo quando o autor faz a gente mudar de opinião várias vezes, tenho certeza que vou amar.

    Bjs
    Mayla
    http://lendocomamay.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mayla. Tudo bem?
      De fato eu ainda não havia lido nenhum livro de fantasia que fosse ao mesmo tempo tão leve e envolvente.
      É ótimo quando a história nos surpreende mesmo :)
      Lê sim, com toda certeza irá gostar!

      Um beijo!

      Excluir
  6. Ooi! Nossa, eu ainda não conhecia esse livro da editora e parece ser ótimo.
    Eu gosto bastante de triangulos, mesmo que não seja aquele amoroso cheio de mimimi hahaha mas algo que dê um toque a mais na historia, mostrando vários lados. Isso é algo que acaba me atraindo bastante. Fiquei curiosa com esse aspecto do triangulo desse livro.
    Beijos
    SIL ~ Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil.
      O livro é bem lega e o triângulo não é aquele super definido e clichê, sabe? Mocinho e bad boy e tal... A gente só sabe mesmo quem é o "mauzinho" já depois da metade do livro.
      Super recomendo, se tiver a oportunidade leia :)

      Um beijo!

      Excluir

Ao final do comentário deixe o seu link, se tiver, teremos o maior prazer em retribuir a visita e o carinho ❤
Se você nao tem uma conta no Google, pode comentar usando "Nome/URL".
P.S. Comentários genéricos não serão retribuídos.