Oi, gente. tudo certo com vocês?

Novembro já está quase no fim mas ainda dá tempo de conferir as novidades do Catálogo Literário - Grupo Editorial Record, sabiam?
Então vem ver os super lançamentos desse mês, tenho certeza de que vocês vão amar!




Nenhum crime brasileiro recente mobilizou mais o imaginário popular do que o assassinato do petista Celso Daniel, prefeito da cidade paulista de Santo André, em janeiro 2002, no ano mesmo em que Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito presidente da República. Quase quinze anos depois, já é tempo de um livro-reportagem sobre o caso. E que livro, um thriller, oferece-nos Silvio Navarro. Neste que é um estandarte a mostrar a força do jornalismo, reúnem-se – em prosa ágil, com ritmo que só uma completa e precisa articulação de informações alcança – todos os elementos para que encontremos a
leitura, o caminho, a verdade. Silvio Navarro é jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo. Foi repórter da Folha de S. Paulo em Brasília e na capital paulista por doze anos. Desde 2012, é editor de Veja.


O que você pode aprender com um clã de suricatos no deserto do Kalahari sobre sucesso, em longo prazo, para a sua empresa? Em Não é assim que a gente trabalha aqui!, John Kotter e Holger Rathgeber ajudam líderes e suas equipes a superarem adversidades e alcançarem um alto desempenho em seus respectivos ambientes de trabalho. A partir de uma parábola simples e didática, os autores explicam como grandes e pequenas organizações podem colocar em prática os conceitos de liderança, trabalho em equipe e inovação. Reconhecidos mundialmente pela experiência com os assuntos liderança e mudança, John Kotter e Holger Rathgeber ajudam líderes a transformarem suas organizações. 



Uma seleção imperdível de contos de terror, histórias de vinganças cruéis e relatos sobrenaturais, recontados por Alvin Schwartz. Alvin Schwartz é conhecido por ter escrito dezenas de livros sobre folclore para jovens leitores que abrangem desde jogos de palavras e anedotas a contos e lendas de todos os tipos. Sua coleção de histórias arrepiantes  – Histórias assustadoras para contar no escuro, Mais histórias assustadoras para contar no escuro, Histórias assustadoras 3, e dois volumes da coleção I Can Read Books, In a dark, dark room e Ghosts! – é apenas uma parte de sua incomparável coleção de folclore. Brett Helquist é um ilustrador renomado. Sua arte embelezou livros como o encantador Roger, the jollypirate, o eterno Um conto de Natal, de Dickens, e Desventuras em série, do autor Lemony Snicket, sucesso de vendas no New York Times.



Este livro abraça – contém – um continente. De assuntos. De ideias. De riscos. De afetos. De apostas. De saudades. De paixões. De – por que não? – obsessões. É assim, sempre por meio da literatura, que a escritora enfrenta a frouxidão moral dos dias correntes, colocando o dever da escrita de pé, de prontidão, cabeça erguida, defendendo o lugar fundamental das “culturas que a modernidade asfixiou” e lhes celebrando a resistência: “São elas que me levam a perambular pelo mundo tendo verbo e imaginação como atributo”. Nélida Piñon é catedrática da Universidade de Miami desde 1990, havendo sido escritora-visitante das universidades de Harvard, Columbia, Johns Hopkins e Georgetown. Em 1990, foi empossada como imortal pela Academia Brasileira de Letras, e em 1996, ano do centenário da Academia, tornou-se a primeira mulher a presidi-la.

Este livro investiga como EUA, Rússia e países ricos da Europa devastam governos, povos e países – especialmente Iraque, Líbia, Síria, Ucrânia –, alimentando movimentos neoconservadores. Orelha de Michael Löwy , diretor de pesquisas emérito do Centre National de la Recherche Scientifique. Luiz Alberto Moniz Bandeira é um dos grandes especialistas latino-americanos a analisar histórica e geopoliticamente os crimes do imperialismo ocidental, em particular o norte-americano, e seus reflexos no Brasil, tema presente em diversos livros que escreveu. Em 2014 e 2015 foi indicado ao Prêmio Nobel de Literatura, pela UBE, em reconhecimento ao seu trabalho como “intelectual que vem pensando o Brasil há mais de 50 anos”. Em 2016, completará 40 anos como autor da Civilização Brasileira. 


Neste livro, o autor reflete sobre as diversas formas como a física influencia o ato de pescar, como a pesca serve de espelho para o funcionamento da natureza e como a ciência lida com a espiritualidade, o mistério e as coisas que não consegue explicar. Intimista e envolvente, A simples beleza do inesperado é um tributo à natureza, um ensaio sobre a conexão entre o homem e o planeta Terra, e uma exploração do significado da existência – dos átomos ao cosmos, passando pelas trutas. Marcelo Gleiser é cientista de renome mundial e professor titular de filosofia natural e de física e astronomia na Dartmouth College. É autor, entre outros livros, de A ilha do conhecimento, Criação imperfeita, A dança do universo e O fim da Terra e do Céu, os dois últimos vencedores do Prêmio Jabuti. Foi articulista da Folha de S. Paulo e participa frequentemente de documentários para a TV no Brasil e no exterior. 
Na área corporativa, ter uma boa redação é característica indispensável para avançar na carreira e obter sucesso. A escrita dos líderes tem o propósito de ensinar ao leitor a transmitir a mensagem que ele deseja, com objetividade e clareza. Indicado para e-mails, cartas, apresentações, relatórios e projetos. O livro inclui exemplos atuais e destaca os recursos que podem fazer a diferença em seu dia a dia no trabalho: memorandos e relatórios eficientes; currículos e cartas que conduzem a uma entrevista; discursos e apresentações que convencem.Os autores trabalharam juntos na agência Ogilvy & Mather Worldwide, famosa por primar pela boa redação. Inclui apresentação do Professor Pio Borges.“Não creio que seja possível chegar ao topo de qualquer empresa sem saber se expressar com clareza. Este livro realmente funciona.” – John Mack Carter, ex-presidente da Hearst Magazine Enterprises 

Katherine Mansfield (1888-1923) tem sua obra estudada e aclamada até os dias de hoje. Nestes contos, publicados entre 1915 e 1922, encontram-se narrativas ousadas com personagens bem-construídos a partir de acontecimentos triviais e descrição apurada.Contos desta coletânea: Êxtase, Je ne parle pas français, A festa no jardim, Uma xícara de chá, As filhas do falecido coronel, A mosca, Picles de pepino, A jovem governanta, A casa de bonecas, Prelúdio, Cenas, Feuille d’ Album, A fuga, Vestir o hábito e Srta.  Brill. Seleção de Flora Pinheiro. Tradução e prefácio de Mônica Maia.“Katherine Mansfield foi a escritora mais emblemática de seu tempo.” – The New York Times
“A única escrita que invejei.” – Virginia Woolf 




Pouco depois de sua mãe biológica contatá-lo pela primeira vez, aos 39 anos, Gary L. Stewart decidiu sair à procura de seu pai. O animal mais perigoso de todos conta a história da caçada de uma década de Stewart pelo pai, seguindo uma trilha complexa de reviravoltas e conexões surpreendentes, revelando o nome do assassino do Zodíaco pela primeira vez, além de construir um perfil psicológico assustador do criminoso que cativou a imaginação da América por décadas e permaneceu um dos grandes mistérios não solucionados do século XX.Inclui dois encartes coloridos com evidências forenses e imagens de arquivo que ilustram e legitimam a narrativa. Susan Mustafa é coautora de outros dois livros sobre serial killers: Dismembered, que relata a história de Sean Vincent Gillis, e Blood Bath, sobre a vida e os crimes de Derrick Todd Lee. 


Usando seus mais de 30 anos de experiência em psicopedagogia, Laura Gutman põe em prática uma metodologia terapêutica inovadora para que cada indivíduo possa refletir intimamente sobre suas condições emocionais, levando em conta o ponto de vista da criança que foi no passado. Em A biografia humana, Laura Gutman ajuda o leitor a reconstruir sua visão acerca da própria identidade, diminuindo a distância entre sua verdadeira personalidade e aquela interpretada pelos adultos responsáveis durante sua trajetória. Com mais de 10 livros publicados, Laura Gutman é uma autora best-seller considerada autoridade nos temas maternidade, família e relacionamentos interpessoais. 




Ser mãe é uma experiência única e indescritível. Mas também é o ponto de partida para a vivência de inúmeros sentimentos e emoções aos quais as mulheres nunca foram apresentadas. Em A maternidade e o encontro com a própria sombra, a renomada psicoterapeuta Laura Gutman explica os sentimentos conflitantes na realidade de uma parturiente, trazendo importantes orientações sobre as fases pré e pós-parto. Usando como exemplos diferentes situações cotidianas, Laura apresenta um leque de sensações com as quais qualquer mulher que tenha se tornado mãe poderá facilmente se identificar, ajudando-as através desse período repleto de incertezas e pequenas vitórias.Com mais de 10 livros publicados, Laura Gutman é uma autora best-seller considerada autoridade nos temas maternidade, família e relacionamentos interpessoais. 

Gigantes da estratégia examina três verdadeiros gênios – Steve Jobs, Andy Grove e Bill Gates – em conjunto pela primeira vez, dos sucessos aos fracassos, revelando as estratégias e práticas das quais foram pioneiros ao construir suas organizações. O livro destaca também as melhores práticas da administração estratégica e do empreendedorismo em alta tecnologia, oferecendo insights únicos tanto para executivos no início da carreira quanto para líderes das multinacionais modernas.“De maneira brilhante, Gigantes da estratégia explica como esses três CEOs cultuados moldaram moldaram o mundo onde vivemos. Livro obrigatório para os aspirantes a líder.” – John Scully, ex-CEO da Apple. 




Em Gramáticas do erotismo, Joel Birman busca compreender o sujeito nas suas dimensões histórica, política e social e, de maneira interdisciplinar, estabelece um diálogo vivo entre a psicanálise e as demais ciências humanas. Seu objetivo é mostrar as ambiguidades que permearam o discurso freudiano e deslocar os padrões habituais de interpretação desse mesmo texto sobre o feminino. Livro adotado em cursos de graduação e pós-graduação volta, com nova capa, depois de mais de 10 anos longe das livrarias. Joel Birman é um dos psicanalistas mais conhecidos do país. Autor foi premiado duas vezes com o Jabuti, categoria Psicanálise e Psicologia, e recebeu o Prêmio Sérgio Buarque de Holanda, categoria Ensaio Social, da Biblioteca Nacional. 





Com a delicadeza, a sensualidade, a inteligência e o humor que marcam a sua criação artística, os versos deste Vozes guardadas revelam amores contidos e outros obscenos, um mundo vasto de espantos, lágrimas, risos e paixões. Ao entregar ao público mais uma leva das “multidões de vozes” que a habitam, a poeta se despede dessas vozes guardadas para dividi-las com todos, fazendo delas nossas próprias vozes. Penetrar no universo dos poemas de Elisa Lucinda exige estancar o tempo e a correria da vida: um delicioso e irrecusável convite. Elisa Lucinda é poeta, atriz, jornalista, professora e cantora. Seu primeiro romance, Fernando Pessoa, o Cavaleiro de Nada, também pela Editora Record, foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura 2015. Seu espetáculo teatral Parem de falar mal da rotina já foi assistido por mais de 2 milhões de pessoas. 

Em Hiperativos!, o filósofo alemão Christoph Türcke analisa, por meio da teoria da cultura, o aumento de casos de síndrome de déficit de atenção e de hiperatividade. Türcke é o pensador que tem pesquisado mais profundamente o impacto das novas tecnologias da comunicação nas estruturas perceptivas do indivíduo. O autor participará de evento no Rio de Janeiro em novembro. O livro propõe um retorno à cultura do ritual – na qual a escola tem extrema importância – para estimular nos alunos sua capacidade de retenção e, consequentemente, uma melhor concentração e representação. Orelha de Nina Saroldi, organizadora da coleção Para Ler Freud, que há alguns anos trabalha os conceitos do autor nas aulas que ministra em cursos e na universidade. Revisão técnica de Eduardo Guerreiro B. Losso, professor da UFRJ. 



Com uma linguagem colorida, lírica e densa, Céus e terra conta a história de três mortes ocorridas em 1974: um cigano, um menino e um lavrador. O menino, chamado Galego, filho de família muito humilde, é decapitado por acidente logo no início da obra, quando então descobrimos que é esse pequeno defunto o narrador de toda a história. Sem piedade pela própria morte e sem sofrimento algum, o fantasma mirim acompanha a vida da cidade. Nesta trama conduzida com leveza e agilidade, acompanhamos a trajetória do menino sem cabeça que vai se tornando um mito dentro da cidade e um sábio dentro dele mesmo, como se a morte pudesse, de fato, conter a chave de todos os mistérios. Franklin Carvalho é escritor e jornalista, pós-graduado em Direito e Processo do Trabalho. Natural de Araci, sertão da Bahia, atua também nas áreas de fotografia e divulgação de movimentos culturais e sociais. Em 2015, recebeu o 2º lugar no Prêmio de Jornalismo Barbosa Lima Sobrinho — Direitos Humanos, da OAB-BA, na categoria Webjornalismo.

É na infância, zona obscura e amedrontadora, que predominam as paixões, os desejos inconfessáveis, a natureza humana, em grau máximo de transparência, em desajuste com o mundo que a cerca. É dessa perversidade que tratam os contos de Receita para se fazer um monstro: curtos e impactantes,  são conduzidos com seca objetividade por um narrador cruel através dos relatos sobre as experiências, as relações e os aprendizados que compõem o tecido da nossa vida. O resultado é uma sequência de sobressaltos e revelações, que produz no leitor o efeito de uma obsessão.Vencedor do Prêmio Sesc de Literatura 2016, Mário Rodrigues nasceu em Garanhuns, Pernambuco. É professor de literatura, português e redação, edita o jornal u-Carbureto e mantém o blog de críticas literárias Na Estante do Mário. 



Matteo ama a chuva, adora sentir aquele toque leve sobre a pele. É o único momento em que se sente igual às outras pessoas, em que deixa de se sentir deslocado por ter nascido surdo. Do ninho que é o lar, um passarinho foi embora, e Matteo compreendeu isso antes de todos; antes da mãe, Sandra; antes da irmã, Alice. Foi seu pai, Alberto, que bateu asas, porque decidiu fugir das suas responsabilidades. Este é o momento indecifrável da vida no qual amor, culpa e perdão se fundem em um só instante. Esta é uma história que fala de todos nós, que fala de um amor grande e imperfeito. Desde a aparição de Elena Ferrante nas listas dos mais vendidos no Brasil, tem crescido o interesse do leitor brasileiro na literatura feminina italiana.Primeiro livro de Sara Rattaro publicado no Brasil, O amor imperfeito já teve edições na Alemanha, na Espanha, na Hungria, na Albânia e na Bulgária. 

Em seu barco-livraria, o livreiro Jean Perdu vende romances como se fossem remédios para amenizar os sofrimentos da alma de seus clientes. Infelizmente, o único sofrimento que não consegue curar é o seu: a desilusão amorosa que o atormenta há 21 anos, desde que a bela Manon partiu enquanto ele dormia. Tudo o que ela deixou foi uma carta — que Perdu não teve coragem de ler. Até um determinado verão — o verão que muda tudo e que leva Monsieur Perdu a abandonar a casa na estreita rua Montagnard e a embarcar numa jornada que o levará ao coração da Provence e de volta ao mundo dos vivos. Nina George trabalha como jornalista, escritora e professora. Ela escreve thrillers, romances, artigos, contos e crônicas. A livraria mágica de Paris permaneceu mais de um ano nas listas de livros mais vendidos da Alemanha e foi best-seller, entre outros, na Itália, na Polônia, na Holanda e nos Estados Unidos, figurando várias semanas na lista do New York Times.  

Para criar esta obra, as autoras viajaram por dois mil anos de literatura, selecionando livros que promovem felicidade, inspiração e sanidade, escritos por mentes brilhantes que nos mostram o que é ser humano e nos permitem identificação ou até mesmo catarse. Estruturado como uma obra de referência, em Farmácia literária os leitores podem simplesmente procurar por sua “doença”, seja ela agorafobia, tédio ou crise da meia-idade, e encontrarão um romance como antídoto. Direitos vendidos para 15 países.“Um cortejo exuberante de ficções literárias e uma celebração das possibilidades do romance.” — The Guardian. “Perspicaz e frequentemente divertido [...], um acréscimo fascinante a qualquer biblioteca. O tempo passado folheando estas páginas é inspirador — até mesmo terapêutico.” — The Economist 


Gostaram das novidades? Pretendem ler algum?
Comentem aqui!

Acompanhe o Grupo Editorial Record nas redes: 


 


2 Comentários

  1. Olá meninas, tudo bem?
    Não conhecia nenhum desses mas eu gostaria de ler "Um amor imperfeito".
    Beijos!

    http://excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Ao final do comentário deixe o seu link, se tiver, teremos o maior prazer em retribuir a visita e o carinho ❤
Se você nao tem uma conta no Google, pode comentar usando "Nome/URL".
P.S. Comentários genéricos não serão retribuídos.